Porto Alegre - Terça-feira, 18 de Junho de 2019
2 Usuários On-Line
Bicho de Rua

Cuidados com cachorros no verão

Confira dicas importantes para manter a saúde do seu pet

Envie por e-mail.

Digite seu nome:
 
Digite seu e-mail:

Envie para um amigo.

Digite seu nome:
 
Digite seu e-mail:


Digite o nome do seu amigo:
 
Digite o e-mail do seu amigo:

Confira dicas importantes para manter a saúde do seu pet

Nossa, como o tempo passa rápido. A primavera chegou e o verão já se aproxima.

Com a chegada do calor as pessoas se sentem mais dispostas para passear e se exercitar. Muitos donos de cães aproveitam para fazer atividade física junto com seus peludos, e é bom pensar em alguns cuidados importantes. Ter água disponível, por exemplo.

Quando nós fazemos exercícios, ou quando está muito calor, precisamos ingerir uma quantidade considerável de água para nos mantermos saudáveis, e com os cães não é diferente. Lembre-se que, inclusive, os nossos amigões não suam pela pele para manter a temperatura ideal do corpo. Quando eles estão com muito calor uma água fresquinha é de grande ajuda.

Além de manter á água limpa e fresquinha para o seu amigão, existem outras dicas muito importantes para que ele se mantenha saudável, especialmente nas épocas de calor:

Nunca deixe o seu cachorro sozinho no carro - a temperatura dentro de um automóvel sobe rapidamente e a variação na temperatura do ar pode comprometer seriamente a saúde do seu peludo. É importante lembrar que enquanto nós temos mecanismos extras para mantermos a temperatura do nosso corpo estável, como por exemplo suando pela pele, os nossos amigos peludos não possuem o mesmo artifício. Os cães fazem troca de calor pela respiração e precisam trocar o ar quente de “dentro deles” pelo ar frio. Por isso é tão importante que o seu amigo esteja sempre em um local bem ventilado. Uma pequena abertura no vidro do carro não é suficiente para a temperatura interna do veículo se manter adequada.

Nunca deixe o seu cachorro preso no sol – o princípio é o mesmo do erro que é manter um cachorro dentro do carro durante um dia quente. Neste caso o cão exposto ao sol precisa realizar um esforço muito maior para poder diminuir a temperatura do corpo, do que estivesse deitadinho em uma sombra gostosa.

Cuidado com o calor nas patas – O pessoal que gosta de caminhar pelas calçadas e ruas, fazendo jogging ou caminhadas, não deve se esquecer que o cão não usa tênis, e o calor do chão pode queimar seriamente as patas dele. E mesmo que você esteja caminhando por lugares sob a sombra, tenha cuidado com terrenos muito acidentados, principalmente se o seu peludo costuma viver em um piso liso, pois é provável que a patinha dele seja muito mais fininha do que a gente imagina.

Pele muito branca – outro cuidado especial é necessário para donos de peludos que possuem a pelagem branquinha e a pele muito rosa. Tal como nós os caninos também estão expostos aos efeitos nocivos dos raios solares. Em caso de dúvidas, converse com o seu veterinário para saber se é preciso usar algum tipo de proteção solar, especialmente em áreas como focinho, orelhas, e patas.

E aproveitando a visita ao veterinário, converse com ele sobre dois problemas que são mais comuns do que a gente pensa e que podem não só afetar a qualidade de vida do seu bicho, como pode levá-lo até a morte. Os possíveis danos causados nas articulações do seu cão (principalmente em filhotes, cães idosos ou cães com displasia) quando não obedecemos os limites naturais de resistência do bicho.

Não exceda a quantidade diária de exercícios recomendada pelo veterinário e evite deixar o seu cão trotando ou correndo em pisos muito duros (asfalto ou concreto)ou muito irregulares.

Torção gástrica - nunca leve o seu cão para se exercitar vigorosamente depois de se alimentar ou depois de beber muita água. A torção gástrica normalmente acontece quando o estômago do nosso cão está cheio, propiciando que o órgão se torne um pêndulo, girando e torcendo sobre si mesmo. Também não deixe o seu cão beber muito ou comer logo após voltar de uma seção de “academia na praça”, principalmente se ele estiver ofegante.

Lembre-se sempre que o seu cão é tão indefeso quanto uma criança de colo. Ele não tem como se expressar verbalmente e avisar que está cansado, tem sede, está com calor ou se sentindo mal. É preciso que estejamos atentos aos nossos amigões para entendermos o que eles querem nos dizer, porque às vezes os sinais são sutis.

Em caso de dúvidas, a pessoa mais indicada e mais informada para lhe ajudar a cuidar bem do peludão é o seu veterinário de confiança. Não hesite em perguntar a ele, nem de pedir ajuda se for preciso.

Fonte: Protetores Voluntários

 


Link Relacionado:

http://goo.gl/RMMcLj

Tweetar