Porto Alegre - Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019
2 Usuários On-Line
Bicho de Rua

Existe um anjo na Vila Tronco que se chama Tatiane Lopes

Deste pequena Tatiane cuida dos animais. Primeiro fazia escondida da mãe e chorava quando não podia ajudá-los.

Envie por e-mail.

Digite seu nome:
 
Digite seu e-mail:

Envie para um amigo.

Digite seu nome:
 
Digite seu e-mail:


Digite o nome do seu amigo:
 
Digite o e-mail do seu amigo:

Deste pequena Tatiane cuida dos animais. Primeiro fazia escondida da mãe e chorava quando não podia ajudá-los.
A vocação para proteger os animais nasceu bem cedo. Tatiane lembra que, ainda menina, sofria ao ver os animais tratados como lixo na vila em que vivia. Sempre que era possível, ela trazia para casa os mais maltratados e a mãe raramente compreendia o impulso. Os animais acabavam voltando literalmente para o lixo. "Prometi a mim mesma que quando tivesse a minha casa cuidaria deles", conta Tatiane. De lá para cá, a Protetora auxiliou mais de 800 animais, destes 529 foram anunciados no site do Bicho de Rua, 248 gatos e 281 cães.

12 ANOS DEDICADOS AOS ANIMAIS...

Sempre aparecem mãos e corações abertos a ajudar quando a causa é do bem. Com a Protetora Tatiane não é diferente e ela relata "conto com a ajuda preciosa da minha família e de uma amiga que há um ano trabalha comigo nos cuidados com os albergados. Na área da saúde, a querida Veterinária Rita. Sem ela seria impossível castrar tantos animais. Por fim, o auxílio financeiro vem de inúmeras pessoas solidárias, que muitas vezes depositam valores na minha conta anonimamente. É comovente ver quando isso acontece. É como receber um abraço amoroso de um desconhecido numa hora de grande desamparo."



COMO AJUDAR

Você pode ajudar doando ração ou depositando qualquer valor na conta abaixo. Para mais informações entre em contato pelo e-mail greice.lopes91@hotmail.com ou pelo fone (51) 9220.0831.

CPF 807614450-72
Caixa Econômica Federal
Ag 0442 Op 023
CC 00003953-8


As necessidades variam de acordo com os casos atendidos no momento e referem-se não apenas aos animais regatados, mas também aqueles que pertencem a famílias em situação de vulnerabilidade social. "Normalmente são animais que chegam a mim doentes e que, após tratados e esterilizados, voltam para as suas famílias."

É importante compreender que nas regiões mais pobres e violentas os animais cumprem uma função humanitária, por mais contraditório que isso pareça. A convivência com os animais cria e estimula os laços afetivos, a responsabilidade pelos outros seres, a solidariedade e a aceitação sem preconceitos.

Ração é a doação mais preciosa e representa o maior custo. Tatiane conta "Gasto com os animais praticamente tudo o que ganho fazendo faxinas, mas a média mensal é de 2 mil reais, fora as despesas da casa. Isso porque boa parte do dinheiro eu uso para castrar fêmeas de rua ou de famílias muito pobres. Como sou muito conhecida na vila, as pessoas recorrem a mim pedindo ajuda. Sofro muito quando tenho que negar, mas tem dias que não há mesmo como ajudar."



LIÇÕES QUE OS ANIMAIS ENSINAM...
"O dia amanheceu chuvoso e tristonho. Saí de casa apressada para mais um dia de trabalho quando me deparei com uma gatinha magra e judiada que chorava desesperada tentando pegar algumas sacolas de lixo que estavam penduradas numa grade. Achei que ela devia estar com muita fome e voltei para pegar um punhado de ração. Quando me aproximei ela, muito arisca, saiu correndo e ficou me observando de longe.

Nesse momento ouvi um gemido baixinho e percebi que vinha de uma das sacolas penduradas. Eram os quatro filhotinhos da gata que estavam ali. Três tinham morrido, mas um deles ainda vivia e foi resgatado. A gatinha, infelizmente fugiu assustada.

Mas tarde, informei-me com os moradores e descobri que esta gata costumava dar muitas crias dentro dos forros das casas. Então pedi para que me avisassem quando ela ficasse grávida de novo e que não colocassem mais os bebês no lixo, pois eu cuidaria deles.

O tempo passou...

Um dia cheguei em casa e encontrei três filhotes recém nascidos em cima do meu sofá. Pensei na hora que eram dela. Peguei as bolinhas de pelo e fui para o beco onde a mãezinha vivia. Os filhotes começaram a chorar e ela saiu de um canto, olhou de longe e voltou a se esconder. Aproximei-me e encontrei outros dois filhotes maiores num ninho muito humilde feito de lixo. Recolhi estes também e levei-os para casa. De longe a gatinha me seguiu e, depois de várias tentativas, consegui pegá-la.

A pequena foi morar na minha lavanderia e começou a amamentar os cinco filhotes. Aí que o milagre aconteceu. Era uma época de muitos bebês abandonados e ela aceitava a todos como seus e os amamentava até estarem prontos para seres doados. Eu os colocava na porta da lavanderia e ela vinha correndo pegá-los com a boca e levava-os para seu ninho com todo o cuidado. No total esta gatinha cuidou de 13 filhotes que de outra maneira teriam dificuldades para sobreviver. O mais incrível é que mesmo esterilizada ela continuava produzindo leite! E continuava seu trabalho de ajudar os pequenos abandonados...

Quando os filhotes pararam de chegar, abri as janelas achando que ela tinha finalmente sido domesticada, mas eu estava enganada. Na primeira oportunidade ela fugiu e voltou para o beco. Sempre a vejo lá. Está gorda e muito bonita.

Ah, o primeiro filhotinho dela resgatado da sacola? Sim, ele sobreviveu. Chama-se Tigrinho e adora se aconchegar no meu colo."



Link Relacionado:

https://www.facebook.com/tatiana.lopes.566148

Tweetar