Porto Alegre - Domingo, 26 de Maio de 2019
1 Usuário On-Line
Bicho de Rua

Conheça esta história de amor com final feliz da Protetora Eugênia

O Pingo e a Flor viviam nas ruas. Todos os dias eles vinham em busca de comida e depois iam embora sempre olhando para trás e isso cortava meu coração, pois eu não tinha como resgatá-los...

Envie por e-mail.

Digite seu nome:
 
Digite seu e-mail:

Envie para um amigo.

Digite seu nome:
 
Digite seu e-mail:


Digite o nome do seu amigo:
 
Digite o e-mail do seu amigo:

O Pingo e a Flor viviam nas ruas. Todos os dias eles vinham em busca de comida e depois iam embora sempre olhando para trás e isso cortava meu coração, pois eu não tinha como resgatá-los...
Sempre alimento os cães que passam aqui pela frente de casa. Alguns ficam algum tempo e depois somem.Outros trato na rua como posso e quando estão muito doentes eu acabo por resgatar, pois não tem outro jeito. Não foi diferente no caso da Flor e do Pingo. Desde a primavera de 2011 a Flor aparecia aqui no meu portão pra comer.

No início era muito apavorada. Ficava longe, paradinha esperando que eu colocasse a ração e me afastasse. Só então ela vinha com seu passo manso e olhar triste para comer. Sempre de olho em mim e nas pessoas que passavam. Era comum ela se assustar com qualquer movimento e fugir.
Eu pensava, "tenho que castrá-lá, logo vai entrar no cio", mas sempre com muitos casos para resolver e com muitos gastos, nunca conseguia.

O COMEÇO DE UMA LINDA AMIZADE

Certa manhã ouvi os latidos dos meus cães e soube que Flor já estava no meu portão esperando para comer. Fui até lá e para minha surpresa, encontrei Flor e mais um cãozinho, baixotinho, com sarna e um pouco magro. Ele estava mais afastado dela, sentado, esperando. Coloquei dois montinhos de ração, junto com pedaços de frango com Ivermectina. Ali começava o tratamento do Pingo para sarna.

O Pingo e a Flor na rua esperando a comidinha deles. Eles vinham juntos quase todos os dias. Comiam, bebiam e iam embora. Sempre olhavam pra trás e isso cortava meu coração, pois eu não tinha a mínima condição de resgatá-los. Não demorou e ela entrou no cio. Aquilo me fez tomar uma decisão, pois na cabeça de um Protetor tudo é muito rápido, pois o cio traz brigas com cães, brigas muito feias, doenças venéreas e depois a gravidez e filhotes.

Filhotes!!! Mais filhotes nas ruas sofrendo!!! Não podia esperar mais. Para completar, o Pingo estava machucado. Aquele pingo de cachorro estava com a pata traseira suspensa. Claro que tinha se metido em alguma briga para defender a Flor que era amiga dele. Consegui pegar as duas fofuras fazendo uma trilha de salsichas para dentro do pátio...

O RESGATE

No dia do resgate estava apavorados, mas juntinhos. Direto para a Clínica Mundo Dos Bichos para castrar, medicar e vacinar. Lá eles não se largavam. Sabemos como são quase impossíveis adoções conjuntas. Pensei “a Flor vai ser adotada logo, é jovem , pequena, branquinha, mas o Pingo já é um senhor, com alguns dentinhos faltando, com falhas no pelo pela sarna e com o rabinho torto”. Sabia que as chances dele de ser adotado eram muito pequenas.

Minhas esperanças estavam quase acabando, quando o Thiago e a Adriana me ligaram interessados em adotar o Pingo. Eu nem acreditei!!!! Eles foram na clínica conhecê-lo e foi amor à primeira vista. Aquele cãozinho adulto tinha conquistado pessoas maravilhosas para serem seus tutores e amá-lo incondicionalmente.

A Flor também tinha sido adotada, mas não deu certo. Ela voltou 15 dias depois e foi para a casa de passagem da Eneida.

O DESTINO ESTAVA PREPARANDO UMA NOVA SURPRESA...

Eu sempre tinha noticias do Pingo desde a sua adoção, praticamente todos os dias. Fotos e vídeos que me enchiam de emoção. Mas eu não sabia que a minha felicidade ainda poderia ficar muito maior.

Dia 30.05.12 Flor foi adotada pela mesma família de Pingo e foi para seu lar definitivo. Foi encontrar seu companheirinho mais fiel. A felicidade dos dois quando se encontraram me fez chorar. Veja este momento no vídeo abaixo.



Pingo e Flor viviam nas ruas juntos. Dividiam a fome, o frio, o medo. Agora estão definitivamente juntos dividindo as alegrias de ter um lar cheio de amor e muitos paparicos. Tudo graças a Adriana e o Thiago que mostraram ter um enorme coração. Eles que foram capazes de escolher animais para a adoção movidos exclusivamente pelo amor, sem preocupação com raça ou idade. Adoções assim são milagres que fazem com que o trabalho de proteger os animais de rua valha a pena.

Não compre. Adote.
Adote animais adultos.
Protetora Maria Eugênia Rodriguez *Facebook.com/mariaeugeniasosbichinhos



Link Relacionado:

www.sosbichinhos.com.br

Tweetar