Porto Alegre - Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2018
1 Usuário On-Line
Bicho de Rua

Seda inspeciona depósito de cães de guarda em prédio comercial

Mais de 40 animais da empresa Delta Cães foram encontrados em condições de maus tratos.

Envie por e-mail.

Digite seu nome:
 
Digite seu e-mail:

Envie para um amigo.

Digite seu nome:
 
Digite seu e-mail:


Digite o nome do seu amigo:
 
Digite o e-mail do seu amigo:

Mais de 40 animais da empresa Delta Cães foram encontrados em condições de maus tratos.

A Secretaria Especial dos Direitos Animais (SEDA) e a Procuradoria-Geral do Município (PGM) realizaram, nesta quinta-feira, dia 4 de abril, inspeção em um prédio abandonado na rua Voluntários da Pátria. De acordo com a PGM, que esteve no local no dia anterior para uma fiscalização de dívidas fiscais, durante a ação foram flagrados cerca de quatro cães amarrados em cordas que os impediam de deitar-se, sem água e ração e em péssimas condições de higiene. O odor de fezes e urina ainda pode ser sentido da rua.

Através de vidros quebrados, a uma altura de três metros do chão, a SEDA contabilizou dez animais e descobriu com vizinhos que eles pertenciam à Delta Cães. O prédio foi locado pela empresa e servia como depósito de cães de guarda. O chefe de Fiscalização Jerônimo Coelho e o Batalhão da Brigada Militar foram até a sede da Delta para que abrissem o local, o que só aconteceu três horas depois sob ameaça de prisão.

Ao retirar as correntes do prédio, a situação era muito pior. A SEDA contou 40 cães adultos e três filhotes espalhados em todos os andares. Além da falta de comida e de higiene, foram encontrados ratos mortos. “Se verificou de tudo um pouco: cães com comida e outros sem potes de água e ração. O que é pior, 90% dos animais estavam desnutridos e machucados, convivendo com ratos”, relata Márcia Gemerasca, coordenadora da Área de Medicina Veterinária (AMV).

A Brigada Militar redigiu dois Termos Circunstanciados à Delta Cães: um de maus tratos e desobediência, outro de alvará de funcionamento vencido.

Por determinação da secretária Regina Becker, os animais serão removidos do prédio e receberão atendimento veterinário da SEDA. Hoje foram retirados nove cães adultos com a saúde mais debilitada e três filhotes, que foram encaminhados à Associação Pró-Bicho Gaúcho com as despesas dos animais serão custeadas pela Delta Cão. Na sexta-feira (5), pela manhã, uma equipe de veterinários, manejadores e fiscalização retornará para fazer a remoção dos demais. Um guarda municipal foi deslocado para fazer a segurança do prédio. O receio da secretária é que a empresa retire os cães durante a madrugada.

“Uma cena de horror. É como manter em cárcere privado pessoas que não têm culpa alguma. Quem comete este tipo de crime deve ser responsabilizado, e é o que a SEDA e a PGM irão fazer. Não dá mais para admitir que, passada uma semana da aprovação, por unanimidade, do Projeto de Lei que proíbe o serviço de cães de guarda no Rio Grande do Sul, essas empresas continuem submetendo animais à escravidão e o que é mais grave, na imundice”, diz Regina Becker.

A secretária espera que o fato gere repercussão suficiente para que o projeto seja sancionado imediatamente pelo governador Tarso Genro: “O governador tem ainda uma semana para sancionar o projeto. Espero, de coração, que ele se sensibilize e liberte esses animais das condições insalubres. O Estado inteiro espera por isso”.

Fonte: Secretaria Especial dos Direitos Animais - POA (SEDA)
Fotos: Vanessa Silva/PMPA

 


Link Relacionado:

www.facebook.com/sedapoa

Tweetar